Destaque Feminino

Economia e finanças para mulheres

Foto: Sofia Cordeiro

Empoderamento feminino também pelas finanças. Assim, as sócias Mariana Florentino e Karol Macedo definem sua empresa, a Florin Empreendedorismo.   A empresa nasceu de dois sonhos: o de Mari de criar algo capaz de romper os dilemas das empreendedoras  ( trazendo ao seu cotidiano o que tinha estudado em seu mestrado) trabalhando alguma mudança social verdadeira na vida destas mulheres; e o de Karol de trazer para a comunicação, um olhar mais feminista e transformador.  ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀ ⠀

Mariana fez mestrado em Santa Catarina, na UDESC, e estudou os dilemas das mulheres ao empreender.  Observou que o dilema do crescimento acompanha inúmeras mulheres e isso só acontece porque o financeiro é um calo para muitas delas. Como mudar essa realidade encontrada nos estudos? Criando uma empresa que pudesse capacitar essas mulheres justamente no financeiro .  Um passo para a Florin nascer.  “Precisamos aprender a lidar, a fazer render nosso dinheiro e com isso, trazer nossos objetivos à tona. Desde pequenas, não somos incentivadas a pensar em dinheiro. Isto tem que mudar e não pode ser paulatinamente. Precisamos entender que empreender em um mundo tão masculino, não é tão difícil se tivermos base, compreensão do que podemos fazer com nossas finanças.”, comenta Mari.

Já Karol passou por inúmeras agências de comunicação na Bahia e queria trazer esse olhar inclusivo para a próxima empresa  da qual  fizesse parte. É, por isso, que ela é sócia da Florin e responsável por trazer as questões de gênero nos cursos e nas consultorias da empresa. “Em um mundo tão machista _ encontramos até mulheres com a mesma visão por aí _ , precisamos mudar o olhar, a forma de entender que somos essencialmente fortes e podemos sim, empreender, crescer, tomar rédeas, evoluir.”, complementa Karol.

Foto: Sofia Cordeiro

Criada por mulheres  e  para mulheres e com o objetivo principal de promover a liberdade, seja ela financeira ou de qualquer outro “cercado” que possa limitar o universo feminino, a Florin traz consultorias pessoais e empresariais.  O objetivo das sócias é grande: empoderar , e trazer consciência de que isto é devido, à mulher que precisa entender que o dinheiro também é dela. Que a movimentação do financeiro e seu equilíbrio também lhe diz respeito. Trazer sempre a ideia de que empreender é possível se as mulheres começarem a lidar bem com seu dinheiro, sem culpa, sem medo, mas sim com empoderamento, consciência, diretrizes e objetivos.

 

Drix Zimon:  O mercado financeiro ainda é machista. Inserir as mulheres em todo conteúdo ainda é um trabalho “de formiguinha”?

 Mariana:  Sim, alguns mercados já entenderam a necessidade de incluir uma comunicação segmentada ao seu público alvo e no mercado financeiro isso não deveria ser diferente. A mulher teve seus direitos relacionados ao dinheiro conquistados há muito pouco tempo (direito a conta bancária na década de 60, de propriedade privada…), então é natural que não se sinta à vontade para falar deste temas. Só que falar sobre dinheiro é necessário,  já que independente da sua idade, classe social, profissão ou momento de vida, você precisa dele para viver.

 

Drix Zimon:  Qual a ajuda que podemos esperar (ou sonhar) do homem no empoderamento financeiro de uma mulher?

Mariana: Primeiro entender que a mulher não precisa se sentir julgada para iniciar qualquer diálogo sobre dinheiro. Segundo, que relacionamento abusivo não passa apenas por violência doméstica, mas também acontece quando se fala de dinheiro. E terceiro, que quanto mais leve é o diálogo sobre dinheiro, mais leve também será falar sobre investimento e, consequentemente, sobre sonhos.

 

Drix Zimon: Desculpas de que pode ser difícil ou complicado lidar com dinheiro, são empecilhos para que uma mulher tome consciência do seu lugar no financeiro tanto em sua vida pessoal quanto empresarial?

Mariana: Trazer a nossa relação com o dinheiro para o campo do diálogo é essencial para que depois possamos entender os empecilhos e as dificuldades. Hoje, o assunto é velado, as mulheres não compartilham os medos e as alegrias. Só que aquilo que não conversamos gera cada vez mais insegurança e medo. É preciso falar de dinheiro para que as barreiras sejam rompidas. É preciso falar de dinheiro para que as inseguranças sejam divididas, afinal de contas, a minha amiga pode ter passado pela mesma situação e me ajudar agora.

Foto: Tatiana Reis

Drix Zimon: Muitas mulheres são “arrimo” de família, mas permanecem longe do mercado investidor. Como vocês veem uma possível mudança desta situação?

Mariana: As mulheres decidem 98% das compras no Brasil, mas de investimentos só contabilizamos um percentual de 22%  no todo . O mercado precisa entender as mulheres como um nicho e criar estratégias para incluí-las. É preciso compreender que este é só mais um produto que pode e deve ser comprado por todas nós. Só que é um bem imaterial e que apesar de ser só um número no dia de hoje, é a certeza de existir segurança no futuro.

 

Drix Zimon:  O mercado de 2020 ainda será complicado para a economia. Quais as principais dicas para lidar com dinheiro de forma objetiva para uma nova empreendedora ?

Mariana: Em 2020, ou em qualquer outro ano, é importante agir com planejamento e pensando não apenas no presente, mas também no futuro. Este futuro pode ser no mês que vem ou daqui 5 anos e quando temos um negócio isso não pode deixar de entrar na balança. Até porque os boletos chegam e você não precisa trabalhar se sentindo insegura se terá condições de pagá-los.

 

Para entender mais ainda da Florin e ficar por dentro do trabalho de Mariana e Karol , vale seguir o Instagram da empresa ou entrar em contato direto pelo número  (62) 98312.2324

Ah, se você ficou com curiosidade sobre a escolha do nome da empresa, explico: Florin foi  uma moeda muito valiosa na época do renascimento na Itália. Mariana morou um tempo no país, viveu experiências e trouxe lembranças na mala de volta ao Brasil, inclusive o objetivo de recomeço.